segunda-feira, outubro 26


ANJO CAIDO


Nas minhas veias

Corre o sangue

de todos os mortos

Por todos os erros,

quais não pude evitar

somatizo ancestrais desconhecidos

sou produto de paixões enlouquecidas

e também dos desencontros

que são bem habituais...

vejo a dor dilacerante

pelos olhos dos aflitos

e desfruto as qualidades

dos exímios sonhadores,

se me pedem um conselho

ele já está na pergunta

e a resposta certamente

o destino é quem trará...


ALECSANDER MATTOS

..

.

.

.

2 comentários:

  1. na rua XV... entre as propagandas de dentistas, de restaurantes e clínicas de estética... nada como dar de cara com um pouco de poesia.

    ResponderExcluir

gostou desse poema? deixe um comentário!
quer falar com os poetas do grupo? utilize os endereços de e-mails no blog, e no caderno de poesias.
obrigado